Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > História de Tocantínia
Início do conteúdo da página

História do Município

Criado: Quarta, 22 de November de 2017, 15h48 | Acessos: 5447

História da Cidade de Tocantínia

                                  RESGATANDO NOSSA IDENTIDADE

           Tudo começou com histórias de lutas, esforços e conquistas de religiosos e religiosas que com atos históricos começavam arraigar profundamente seu trabalho para que posteriormente os frutos fossem colhidos. Como o Padre Frei Antônio de Ganges, que chegou a esta Terra por volta de 1860, com 30 anos de idade, com o objetivo de trabalhar e catequizar os índios Xerentes, permanecendo por aqui durante 40 anos.O primeiro nome dado a nossa cidade foi Tereza Cristina, em homenagem a então Imperatriz do Brasil esposa de D. Pedro II, sendo mais tarde substituído por Piabanha, devido a existência de um ribeirão com este nome. Somente em 1936, recebeu o nome de Tocantínia por iniciativa do Deputado João de Abreu, motivado pelo Rio Tocantins. No entanto, só veio a ser emancipada em 07 de outubro de 1953, rompendo definitivamente sua ligação com o município de Pedro Afonso, conquistando assim sua autonomia política.

A criação do Estado do Tocantins em 1988 e a implantação da capital Palmas, localizada a apenas 74 Km, foi um marco importante no desenvolvimento demográfico e sócio-econômico de nossa cidade, proporcionando maiores oportunidades de emprego e desenvolvimento, seja no setor público ou privado, trazendo maiores oportunidades aos filhos de Tocantínia, que muito têm se destacado em cargos importantes no Estado.

Localizado a margem direita do Rio Tocantins o Município de Tocantínia possui hoje uma população de 7.387  habitantes situado no sentido norte.

Com uma área total de 2.595,2 Km², é uma cidade pequena com sua população bem dividida entre a zona urbana e a zona rural .Possuidor de uma rica cultura fruto da miscigenação entre os colonizadores e os índio locais (cuja população atual se divide em 62 aldêias indígenas do povo “Akwê”, conhecido com Xerente, vem escrevendo sua história desde 1860, sendo emancipado em 07/10/1953, através da Lei nº 798/1953 e Feriado Municipal conforme Lei nº 515/2017, comemora-se este dia com os tradicionais desfiles das escolas da cidade e tradições indígenas.

A cidade já foi referência em educação no estado, bem como afirma o Jornal Folha do Jalapão de 28 de fevereiro de 2005. Possui dois colégios de importância histórica, ambos já foram referência no estado, trata-se do Colégio Batista de Tocantínia fundado em 1936 e o Colégio Frei Antônio fundado em 1957. Destes, apenas o Colégio Batista conserva sua arquitetura no estilo colonial.

          Suas principais manifestações culturais são de fundo sincrético-religiosas como a “Folia do Divino”, O “Mestres de Ofício” são os artesãos e artesãs que confeccionam rendas, móveis e brinquedos de burití e capim dourado, artesanato Xerente; os mestres cantadores que coordenam as canções e fabricam os instrumentos musicais utilizados nas festas folclóricas como a Festa do Divino Espírito Santo e a Festa de São Sebastião (padroeiro do munícipio).

            PRAÇA FREI ANTONIO DE GANGES, PRAÇA DA MATRIZ

 Nesta praça, realiza-se vários eventos culturais e religiosos tais como, o Festejo do Divino Espírito Santo e Nossa Senhora do Rosário, com novenas, missas com a participação de folia do Divino Espírito Santo, coroação de rei, rainha, imperador e imperatriz, barracas e leilões, som ao vivo, todos os anos conforme tradição, na segunda semana do mês de julho.

de 15 a 21 de abril, realiza-se o evento cultural, Semana do Índio em Tocantínia, com feira cultural e apresentações das tradições indígenas, conforme Lei municipal nº.229/2005.

No inicio de julho realiza-se o Despertar – Evento tradicional de Tocantínia que reúne as Igrejas evangélicas do município com cultos e apresentações de bandas gospel.

PRAÇA BRASÍLIA, PRAÇA CENTRAL

É realizado todos os anos no 1º final de semana do mês de julho o “Carnatoca”-Três dias de carnaval fora de época que já se tornou tradição em Tocantínia, sendo realizado há dezesseis anos consecutivos, com apresentação de blocos carnavalescos, bandas, com estrutura para receber mais de dez mil turistas por noite, com atrativos turísticos, artesanatos indígenas e comidas típicas da região, hotéis e balneários para que os visitantes sejam bem recebidos.

                  Realiza-se também, no dia 13/05 de cada ano o Dia do Evangélico conforme Lei Municipal nº. 224/2005, com festas, cultos e apresentações de bandas gospel.

FERIADOS MUNICIPAIS

20 de janeiro - Dia de São Sebastião padroeiro da cidade - Feriado Conforme Lei Municipal nº 514 de 21 de março de 2017.

19 de abril - Dia do Índio – Feriado Conforme Lei Municipal nº 519 de 27 de março de 2017.

07 de outubro  -  Aniversário da Cidade – Feriado Conforme Lei Municipal nº 515/2017 de 21 de março de 2017.

Fim do conteúdo da página